Experimentos, teorias, incertezas, frustrações, projetos e esperanças de um estudante de jornalismo anacrônico e idiossincrático.

Dia 410

Reviravoltas

Um dos recursos mais utilizados por roteiristas em seriados, filmes, livros e etc. são as reviravoltas. Sejam essas medidas planejadas ou desesperadas, o fato é que são pontos chave em qualquer obra ficcional ou documental.


As reviravoltas às vezes surgem do nada: personagens do passado que reaparecem na vida do protagonista revelando os segredos mais mirabolantes, destruindo (claro!) a alegria do casal preferido da audiência. Exemplo: Georgina Sparks em Gossip Girl. Apareceu do nada, sem ninguém da audiência sequer ter ouvido falar, mas chegou fazendo muito barulho. Estratégia efetiva para conseguir audiência cativa, mas será essa duradoura?

Fato:
Michelle Trachtenberg é uma puta atriz. Desde Buffy ela me encantava com aquele sorrisinho de falsa e ingênua. Ainda ali ela era desconhecida. Um maior reconhecimento pelo grande público foi quando Trachtenberg protagonizou cenas engraçadíssimas em EuroTrip angariando a simpatia geral da galera. Agora como a vilã Georgina ela pode dar um salto na sua carreira alçando rumos mais altos futuramente... ou não.

A reviravolta também pode ser hereditária. Como a própria palavra evoca, a hereditária é decorrente também de um passado, no entanto esse é conhecido pelo público. O roteirista depois de apresentar toda uma temporada, pode transformar a MELHOR AMIGA DA PROTAGONISTA em sua arquiinimiga. Exemplo: Heidi em The Hills.


(Pra quem nunca nem ouviu falar, The Hills é um reality show semi-roteirizado. Durante cerca de 8 meses uma equipe de filmagem seguiu Lauren Conrad por todos os lugares. Faculdade, shopping, trabalho, festas... Depois de tudo gravado, Lauren vai para uma estúdio e narra o que aconteceu nos últimos meses. Alguns questionam a realidade dos fatos documentada pelas câmeras da MTV estadunidense.)

Heidi
dividia o mesmo apartamento com Lauren. Elas eram amigas desde o colegial. Compartilham chuveiros, geladeira, comida e segredos em Los Angeles, CA (ui, que chique!). Mais para o fim da temporada Heidi, sob influências de terceiros – aqui lê-se Spencer(bitch-I-hate-you!), simplesmente ignora tudo que viveu com sua MELHOR AMIGA e, por ciúmes pelo sucesso da outra (dizem!), começa a espalhar uma série de mentiras sobre a mesma; até que a traíra decide sair do loft (chique²!) para morar com seu namorado. (DAMN BITCH! You’ve been brainwashed!)

E o que aprendemos hoje, caros leitores? Cuidado com pessoas que aparecem do nada, sorridentes e/ou falsas, ficando preparados sempre para os golpes do roteirista lá de cima que podem transformar aqueles em que você depositou sua confiança em seus maiores antagonistas.